• (0)
    ISO-9001-blog

    Base de conhecimento ISO 9001

    5 Principais Mudanças Esperadas na ISO 9001:2015 a partir do Esboço de Norma Internacional de 2014

    Desde 2013, quando o novo esboço do comitê da norma ISO 9001 saiu, as pessoas têm imaginado quais mudanças serão mantidas e quais mudanças serão ainda atualizadas. Agora que o comitê da ISO deu o próximo passo e emitiu o esboço de norma internacional (draft international standard – DIS) para a ISO 9001:2005, nós pdoemos ver algumas das principais mudanças que mais provavelmente permanecerão quais a atualização final da norma for liberada. É importante notar que embora estas mudanças pareçam finalizadas, podem haver algumas atualizações sutis no esboço final de norma internacional (final draft international standard – FDIS) e mesmo na liberação da versão final da norma. Assim, quais são as principais mudanças desde o esboço anterior do comitê, e o que estas podem significar para o seu sistema de gestão da qualidade?

    Reformatada para ser compatível com o Anexo SL. Como foi esperado do esboço do comitê, as cláusulas da norma foram re-ordenadas e re-nomeadas para estar em conformidade com o Anexo SL assim como outras normas tais como a ISO 27001 & ISSO 22301, que seguem mais de perto o ciclo plan-do-check-act (PDCA). Como declarei em artigo anterior, uma vez que o fluxo geral do processo deveria atender as necessidades da organização, isso não mudaria a implementação do SGQ. Isto é, contudo, a razão do por quê eu não gosto de tentar combinar a numeração dos documentos do SGQ com os requisitos da norma.

    Seção 4.4, Sistema de gestão da qualidade. Enquanto o esboço do comitê tinha uma seção separada na abordagem de processo, isto foi integrado na seção uma sobre o SGQ e seus processos. Isto não significa que a abordagem de processo está sendo removidada norma ISO 9001; todos os requisitos estão lá com formulação diferente, mas não é explicitamente declarada como a “abordagem de processo”. Isto não deveria mudar a forma das pessoas implementarem a ISO 9001, como a abordagem de processo tem sido uma parte chave da norma desde 2000.

    Liderança. Embora pareça uma mudança pequena, o novo esboço de norma internacional adicionou um requisito para a alta direção assumir a responsabilidade pela eficácia do SGQ. Para algumas organizações onde esta atividade foi delegada para uma equipe de auditoria interna, a expectativa será mais premente que os membros da alta direção possam falar sobre quão eficaz é o SGQ e como ele é medido e melhorado. Melhorar o envolvimento e conhecimentoda alta direção sobre o SGQ neste ponto poderia ajudar com a introdução de novas responsabilidades quando a nova versão da ISO 9001 for liberada.

    Avaliando e planejando para riscos. Esta permanece a maior adição a norma, com alguns esclarecimentos e exemplos adicionados às notas. Como mencionei em artigos anteriores, isto é algo que muito provevelmente não será removido da norma, e é muito provável que seja a seção que mais irá beneficiar as organizações que estão tentendo fazer melhorias no SGQ agora, em antecipação das mudanças que estão por vir. Mesmo sem as mudanças vindouras para a norma ISO 9001, escrevi algumas idéias parsa adicionar atividades de tratativa de risco neste artigo: The role of Risk Assessment in the QMS. Pequenas revisões na seção de planejamento de mudança destacam a necessidade da avaliação de riscos antes de fazer uma mudança no sistema de gestão da qualidade.

    Informação Documentada. É importante notar uma mudança global neste esboço de norma internacional com relação a norma vigente, a ISO 9001:2008, com relação ao conceito de documentos requeridos. Com na orma vigente existem vários procedimentos documentados requeridos (tais como Auditoria Interna e Controle de Produto Não Conforme). O texto do esboço da nova norma não incluí estas indicações de documentos requeridos, mas isto significa que eles não são necessários? Este, claro, não é o caso. O nov esboço usa a frase “informação documentada” para denotar quando uma organização precisa documentar e reter tal informação. Assim, enquanto não há requisito para um procedimento documentado de auditoria interna, há um requisito para reter informação documentada como evidência da implementação do programa de auditoria e resultados de auditoria. Um procedimento e registros de auditoria ainda são uma forma aceitável de prover esta evidência.

    O Manual da Qualidade se foi? Assim como procedimentos documentados, não há mais um requisito declarado para um manual da qualidade, e o que ele conterá, como está presente na versão vigente (ISO 9001:2008). Isto não significa que uma organização precisa necessariamente destruir a idéia de ter um manual da qualidade. Ainda há informação que é requerida como informação documentada, tal como o escopo do SGQ, informação para apoiar os processos operacionais, e uma política da qualidade. Enquanto é verdade que estas informações podem ser documentadas separadamente, ainda é aceitável documenta-las em conjunto em um documento chamado manual da qualidade se sua organização considerar isto útil. Eu ainda mantenho, como declarei em meu artigo anterior Escrevendo um pequeno Manual da Qualidade, que um manual da qualidade, se escrito de forma concisa, pode ser uma boa ferramena de vendas para sua organização.

    Clique aqui para ver uma amostra do  Manual da Qualidade.

    Advisera Mark Hammar
    Autor
    Mark Hammar
    Mark Hammar is a Certified Manager of Quality / Organizational Excellence through the American Society for Quality, and has been a Quality Professional since 1994. Mark has experience in auditing, improving processes, and writing procedures for Quality, Environmental, and Occupational Health & Safety Management Systems, and is certified as a Lead Auditor for ISO 9001, AS9100, and ISO 14001.