• (0)
    ISO-9001-blog

    Base de conhecimento ISO 9001

    Pensamento baseado em riscos substituindo ações preventivas na ISO 9001:2015 – Os benefícios

    Em setembro de 2015 veremos o lançamento da norma ISO 9001:2015 com algumas mudanças fundamentais em como se espera que organizações operem para permanecer em conformidade. Uma das mais fundamentais e potencialmente mais significativas mudanças vem na mudança do atual processo de ação preventiva sendo substituído pelo “pensamento baseado em risco”. Em muitas organizações com as quais eu tenho trabalhado para, ou com elas, as ações preventivas tendiam a ser um “exercício de marcar itens” nascidas da necessidade de satisfazer um requisito da ISO 9001, em oposição a um real direcionamento para mudança e melhoria contínua. Ações preventivas tendiam a ser executadas em níveis mais baixos da organização no passado, talvez por um membro da equipe de qualidade, e geralmente falhando em capturar as questões que realmente afetam a organização em um nível mais elevado e permitem que a melhoria contínua ocorra. Assim, o que esta mudança significará para a sua organização?

    Pensamento baseado em risco: A real diferença da ação preventiva

    Em artigos anteriores nós examinamos vários tipos de análise de riscos (veja Methodology for Risk Analysis), mas a norma ISO 9001:2015 requer que nós tomemos uma “abordagem baseada em riscos para a gestão da qualidade”. Isto envolve ter uma maior visão estratégica do risco dentro do seu negócio, e também fazer a ligação com as mudanças nos requisitos de liderança, sobre os quais você pode ler mais sobre neste artigo: Como estar em conformidade com os requisitos de liderança da ISO 9001:2015. Assim, dado que sua equipe da alta direção deveria agora estar envolvida no processo de identificação, registro, remoção e mitigação de riscos, então você pode ver que desde o início, usar um processo de pensamento baseado em risco deveria superar em muito ações preventivas em termos de eficácia. Assegurar que sua equipe de gestão possui um fórum para identificar riscos nas reuniões de gestão regulares pode ser uma etapa vital em direção a isto. Igualmente importante é assegurar que todos os empregados nos níveis mais baixos têm um canal onde eles podem dar suas opiniões para escalões superiores para consideração pela equipe de gestão. Quando estes dois processos estão implantados, você terá um processo de “pensamento baseado em risco” que é presidido pela equipe da alta direção, que detém todo o conhecimento estratégico chave sobre ameaças para o negócio, e é suportado por informação de todos os níveis – algumas das quais podem ter permanecido desconhecidas para eles previamente. Assim, em efeito, no lugar de um processo de ação preventiva uni-dimensional, que geralmente era levado nos níveis mais baixos e permanecia lá, você agora tem um processo de pensamento baseado em riscos presidido pela equipe que tem toda a informação disponível para eles desde os pontos mais elevados da organização, filtrando tudo até os nívis mais baixos. Com as decisões feitas nestes processos, e as ações asseguradas, não é difícil ver que as ações documentadas e objetivos serão mais eficazes em um nível organizacional do que era o processo de ações preventivas. Assim, o que sua organização tem que fazer acompanhar a velocidade desta mudança?

    Pensamento baseado em risco: Quando nós começamos?

    Haverá um período de transiçào de até três anos para a implementação da nova norma, mas algumas das mudanças são tão benéficas que quanto mais breve você começar, melhor. Encorajar sua equipe da alta adireção a abraças as mudanças nos requisitos da liderança e juntar isto com um novo processo de pensamento baseado em risco faz perfeito sentido. Quanto mais cedo você puder facilitar ambos, e encorajar a sinergia entre os dois, mais em sintonia sua organização estará com as ameaças e riscos pelos quais você terá que navegar nos próximos meses e anos. E, como todos sabemos, onde existem riscos quase sempre existem oportunidades, então a identificação destes são outro desdobramento positivo de se adotar esta abordagem geral tão cedo quanto possível. Remoção e mitigação de riscos quase sempre asseguram o crescimento da organização, o que somente podem ser boas notícias para a sua organização. A ISO 9001:2015 é uma norma que vai muito além normas de qualidade organizacionais, e suas saídas asseguram que sua organizaição pode ser protegida e melhorada, e novas oportunidades identificadas, como declarado acima. Dado que estas mudanças são tão benéficas, a sua organizaição pode se privar de não implmeentá-las imediatamente?

    Para mais informações sobre mudanças trazidas pela ISO 9001:2015, verifique esta Matriz ISO 9001:2015 vs. ISO 9001:2008 gratuita.

    Advisera John Nolan
    Autor
    John Nolan
    John Nolan is a Fellow of the Institute of Leaders and Managers in the United Kingdom, and Prince 2 accredited with a background in Engineering and Electronics and Data Storage and Transfer. Having studied and qualified as both a Mechanical and Electronic Engineer, he has spent the last 15 years designing and delivering Quality Systems and projects across many sectors in the UK, including both national and local government.